A terceirização de serviços no Brasil aumentou e eficiência de várias empresas nos últimos anos e, de quebra, abriu caminhos para a entrada de novos empreendedores no mercado. Confira!

Em algum momento do negócio, um empresário já se viudiante da seguinte situação: como posso cortar custos na minha empresa e agilizar alguns processos? Com esse intuito, a terceirização especialmente nos últimos anos passou a ser alternativa, livrando a empresa de perder tempo com algumas atividades, podendo ainda focar no seu objetivo principal. E não adianta negar, uma hora todo mundo sente essa necessidade de terceirizar um serviço ou outro. Uma pesquisa do Centro Nacional de Modernização (Cenam), por exemplo, realizada com cerca de duas mil empresas do País, mostra que 86% delas contratam ou já contrataram serviços terceirizados.

E o que tem a ver o empreendedor aqui? Cara ou coroa? Esse lado da moeda nós já vimos, que tal ver agora o outro? Você já pensou, por exemplo, que pode oferecer um serviço terceirizado? Afinal, em tempos de vacas magras, como a crise econômica atual, se você foi demitido, empreender com a atividade que realizava na empresa pode ser um bom caminho, não acha? Segundo o sócio da Tiex empresa de consultoria e gestão corporativa, Fábio Yamamoto, o mercado de terceirização tem apresentado crescimento mesmo com a crise econômica pela qual o País está passando. “Na verdade, a crise tem sido um dos motivos para que as empresas busquem terceirização de suas áreas consideradas suporte, pois o compartilhamento de custos das empresas de terceirização permite que as contratantes reduzam seus custos com pessoal sem perda, e na maioria dos casos experimentam até melhora na qualidade dos serviços”, acredita.

Para o mestre em administração e professor de economia da Faculdade IBS Fundação Getulio Vargas (IBS/FGV), Flávio Correia, quando um projeto de lei é apresentado ao Congresso, como é o caso do PL 4.330 que dispõe sobre terceirização, isso já representa que há, ao menos, uma parcela da sociedade reivindicando tal proposta, então sua existência corresponde a uma tendência de mercado fazendo com que a pauta seja merecedora de discussão. E, justamente por ser uma realidade, que tem crescido e continuará crescendo.

A mestre em direito, especialista em relações contratuais e do trabalho e sócia do escritório Menezes Advogados, Maria Aparecida Menezes Silva, explica que o PL 4.330 está em trâmite há muitos anos, já foi submetido a diversas emendas, já foi aprovado na Câmara dos Deputados e, atualmente, está aguardando apreciação pelo Senado Federal. Mas ela acredita ainda que o crescimento do mercado de terceirização se deve, muito mais, à profissionalização das empresas, melhor organização dos processos e descentralização destes do que ao próprio projetode Lei. “É claro que a expectativa de ampliação das atividades que poderão ser objeto de terceirização contribui para o empreendedorismo neste setor e, consequentemente, a abertura de novos negócios”, argumenta.

– – –

Publicado em: Gestão & Negócios

About the author